Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Como Hermione

Como Hermione

Desistir ou Continuar a Ler?

08.04.22 | A Miúda

     Certamente, enquanto leitores, já todos encontramos um livro que nos fez duvidar sobre se deveríamos ou não continuar a lê-lo. Isso aconteceu-me recentemente com Madame Bovary, de Gustave Flaubert, e sim, em várias ocasiões tive vontade de atirar o livro pela janela fora.

 

     Querer abandonar um livro não significa que ele não seja bom, simplesmente, não é bom para nós ou tivemos o azar de o ler quando não devíamos. Sim, porque eu acredito que cada livro tem o seu próprio tempo, mas isso pode ficar para outra altura!

 

     Existem vários fatores que tornam um livro menos interessante. Por exemplo, no caso de Madame Bovary, o facto de ter lido uma versão antiga (de 1969), editada em português do Brasil, não me ajudou em nada na leitura, antes pelo contrário. Noutros casos, poderá ser a própria história e enredo que não cativam o leitor, as suas personagens, a forma de escrita, etc.

 

     Desistir de uma leitura é tão válido como levá-la até ao fim. Desistir de um livro, é quase como assumir um erro. Afinal de contas, tivemos de gastar energia, tempo e dinheiro para o escolher e começar a ler. Mas, por outro lado, todos nós temos o tempo limitado, seja por questões naturais ou pelas obrigações de cada um. Desistir de um livro é, de certa forma, dar valor ao nosso tempo. Enquanto leitores, existem milhares de livros por descobrir e outros tantos que nunca seremos capazes de ler, por muita vontade que tenhamos. Por isso, se a leitura, para muitos de nós, significa esquecer por momentos as preocupações e stresses do dia-a-dia, porquê insistir em livros que não nos dizem nada?

10 comentários

Comentar post